(61) 3424-2500 | (61) 3424 2525 (WhatsApp) reservas.bsb@letshotels.com.br

Construído em apenas 10 dias, o prédio também é conhecido como Palácio das Tábuas

Dicas do Let’s Brasília Hotel
#brasiliacommaisconforto #explorebrasilia #oquefazerembrasília

Catetinho em Brasília

Foto: OPY Imagem

A décima obra que iremos apresentar hoje na nossa lindíssima Coleção Conhecer e Visitar: Prédios e Projetos Famosos de Brasília é o Catetinho.

O prédio foi a primeira residência oficial do presidente Juscelino Kubitschek no planalto central e hoje é um museu aberto à visitação pública.

Entrar no prédio e andar pelas salas projetadas pelo lendário arquiteto Oscar Niemeyer é como mergulhar em um livro de história, conhecer o passado de perto e sonhar com o futuro.

Aqui no Blog “Conhecer Brasília com Todo Conforto” já abordamos um pouco sobre o Catetinho, mas hoje vamos desvendar os detalhes, as informações e, principalmente, as curiosidades que rodeiam o Palácio das Tábuas. Vamos lá?

Museu Catetinho em Brasília

Foto: OPY Imagem

Dez dias

Esse foi o tempo necessário para construir o Catetinho: apenas dez dias! E a ideia? Surgiu em um bar no Rio de Janeiro, no encontro de um grupo de dez amigos de JK, entre eles o arquiteto Oscar Niemeyer.

A rapidez da obra tinha motivo: abrigar o presidente e ter um local apropriado para ele e sua equipe trabalharem, visto que o Senado Federal havia aprovado, em setembro de 1956, a mudança da capital brasileira para o interior do país.

O presente dado pelos amigos ao presidente não foi apenas um gesto carinhoso, mas também um importante incentivo para JK, que agradeceu e exaltou o feito no dia da inauguração: “Se meus amigos praticaram este milagre em tempo recorde, apenas com idealismo e sem recursos oficiais, por que não poderei construir a nova Capital, já que disponho, no Governo, de toda uma infra-estrutura administrativa e de recursos financeiros?”.

Respeitando as raízes

O nome do prédio foi uma singela e delicada homenagem ao Palácio do Catete, até então sede do governo federal desde o século XIV, e foi dado pelo violonista e seresteiro Dilermando Reis.

Curiosidade! Apesar de ser oficialmente conhecido como Residência Presidencial, Juscelino Kubitscheck não morava de fato no Catetinho, apenas pernoitava algumas vezes. O local recebeu renomadas visitas, como a Rainha Elizabeth II, da Inglaterra.

Um espaço singular

Assim como foi pensado em toda a cidade de Brasília, o local escolhido para a construção do Catetinho foi influenciado pelo conforto oferecido pela natureza: uma nascente.

A fonte de água oferecia um ar mais fresco e úmido, essencial no planalto central, principalmente, em períodos de secas e poucas chuvas. Ao redor, a vegetação fechada, preservada, presenteando os frequentadores com as belezas do cerrado.

O prédio é simples, qualidade esta que encantou JK. Ao andar pelo Catetinho, o visitante pode conhecer a suíte presidencial, a sala de despachos, o quarto dos membros do governo, o quarto de hóspedes e a sala de refeições no térreo.

Catetinho em Brasília - Suíte Presidencial

Foto: OPY Imagem

Além de muitos itens originais preservados e presentes no Museu Catetinho atualmente, exposições de fotografias da época da construção colaboram para uma visão ainda mais real dos primeiros dias “de vida” de Brasília. Como falamos no começo, é como mergulhar em um livro de história, uma visita que vale muito a pena.

Dica: visite também a nascente, o lugar é lindo e transmite uma calma indescritível!

Inspiração para todos

De modo geral, a construção de Brasília foi inspiração pura para praticamente toda a população brasileira, fossem pessoas políticas ou não. A meta imposta por JK de avançar 50 anos em 5, permitia sonhar em um dia e realizar no outro. Era uma nova era, sem precedente, que se construía a passos largos!

Toda essa euforia e esperança também se traduziam em inspiração poética e, o Catetinho, ou melhor, a nascente próxima ao Palácio das Tábuas foi a “musa inspiradora” de Tom Jobim e Vinícius de Moraes, que resultou na canção “Água de Beber”.

Nasceu tombado

Em julho de 1959, o Palácio das Tábuas foi oficialmente tombado pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Na década de 70, o local foi transformado em museu. Sorte a nossa de poder visitar!

Porém, a importância do Catetinho havia sido reconhecida já no exato momento em que foi construído! Prova disso é que na inauguração, em 10 de novembro de 1956, JK deixou o prédio sob responsabilidade da Diretoria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (DPHAN).

Olha que legal! De acordo com a superintendência do IPHAN no Distrito Federal, o Catetinho se destaca por ser um dos monumentos históricos da capital do Brasil que mantém o melhor estado de conservação. Mais um motivo para visitá-lo: história genuína e conservada!

Museu Catetinho - um dos mais bem conservados do Brasil

Foto: OPY Imagem

Bom, deu para notar que o lugar é especial, né? Difere de todos os grandes palácios que já apresentamos aqui, com uma riqueza singular: é o primeiro prédio erguido em Brasília. Testemunha da construção de uma nova cidade, uma nova capital e um novo país.

Em Brasília, hospede-se com conforto e segurança. Estamos esperando você!

×

Omnibees - Intelligent Hotel Distribution
Reservar Agora